quinta-feira, 2 de julho de 2009

Fifa repreende comemoração religiosa do Brasil na África

A comemoração do Brasil pelo título da Copa das Confederações, na África do Sul, e o comportamento dos jogadores após a vitória sobre os Estados Unidos causaram polêmica na Europa. A queixa é de que a seleção estaria usando o futebol como palco para a religião. A Fifa confirmou à Agência Estado que mandou um alerta à CBF pedindo moderação na atitude dos jogadores mais religiosos, mas indicou que por enquanto não puniria os atletas, já que a manifestação ocorreu após o apito final.

Ao final do jogo contra os EUA, os jogadores da seleção brasileira fizeram uma roda no centro do campo e rezaram. A Associação Dinamarquesa de Futebol é uma das que não estão satisfeitas com a Fifa e quer posição mais firme. Pede punições para evitar que isso volte a ocorrer.

Com centenas de jogadores africanos, vários países europeus temem que a falta de uma punição por parte da Fifa abra caminho para extremismos religiosos e que o comportamento dos brasileiros seja repetido por muçulmanos que estão em vários clubes da Europa. Tanto a Fifa quanto os europeus concordam que não querem que o futebol se transforme em um palco para disputas religiosas, um tema sensível em várias partes do mundo. Mas, por enquanto, a Fifa não ousa punir o Brasil.

"A religião não tem lugar no futebol", afirmou Jim Stjerne Hansen, diretor da Associação Dinamarquesa. Para ele, a oração promovida pelos brasileiros em campo foi "exagerada". "Misturar religião e esporte daquela maneira foi quase criar um evento religioso em si. Da mesma forma que não podemos deixar a política entrar no futebol, a religião também precisa ficar fora", disse o dirigente ao jornal Politiken, da Dinamarca. À Agência Estado, a entidade confirmou que espera que a Fifa tome "providências" e que busca apoio de outras associações.

As regras da Fifa de fato impedem mensagens políticas ou religiosas em campo. A entidade prevê punições em casos de descumprimento. Por enquanto, a Fifa não tomou nenhuma decisão e insiste que a manifestação religiosa apenas ocorreu após a partida. Essa não é a primeira vez que o tema causa polêmica. Ao fim da Copa do Mundo de 2002, a comemoração do pentacampeonato brasileiro foi repleta de mensagens religiosas.

A Fifa mostrou seu desagrado na época. Mas disse que não teria como impedir a equipe que acabara de se sagrar campeã do mundo de comemorar à sua maneira. A entidade diz que está "monitorando" a situação. E confirma que "alertou a CBF sobre os procedimentos relevantes sobre o assunto". A Fifa alega que, no caso da final da Copa das Confederações, o ato dos brasileiros de se reunir para rezar ocorreu só após o apito final. E as leis apenas falam da situação em jogo.

da Agência Estado
Reproduzido em JC on line

Eu não acompanhei o torneio nem sabia dessa comemoração, mas lendo os principais jornais de hoje me deparei com essa manchete.

Taí um tema polêmico!

As frequentes restrições à divulgação do nome de Jesus ou do falar em Deus em grandes eventos públicos são contrapostos à cada vez crescente abertura que se dá a movimentos liberais. Será que se um jogador estampasse em sua camisa um apelo a favor do homossexualismo ou da legalização da maconha, por exemplo, seria criticado ou seria apaludido?

Por outro lado, eu não concordo com o fato de atribuírem a Deus resultados de jogo. Acredito que numa disputa física como essa, ganha quem estiver melhor preparado física e táticamente e quem tiver habilidade para melhor aproveitar as oportunidades. Me desculpem alguns filósofos.

Será que o Senhor se sente honrado com uma multidão que literalmente idolatra homens e que em nenhum momento louva ao Nome do Eterno, ao contrário, profere obscenidades, enquanto times, por vezes à sombra rituais satânicos e sob o rogo da "proteção" de "entidades" disputam o resultado que enriquecerá financeiramente seus bolsos e de seus dirigentes?

Será também que alguns jogadores, ao levantarem mãos aos céus e dizerem que crêem em Jesus, contribuem para a evangelização e conversão da sociedade ou apenas banalizam o evangelho?

Gospalização não produz salvação, embora contribua francamente para que NINGUÉM ouse dizer que nunca ouviu falar de Jesus. Conversão, arrependimento, fé no sacríficio de Jesus e obediência à Palavra conduzem o homem ao céu mediante a graça que o Senhor nos revelou e dispensou.

9 comentários:

Erika disse...

que o envangelho seja pregado;

Anônimo disse...

SE FOSSE UM GESTO IMORAL, OU DESRESPEITO A FAMILIA, ELES ACEITARIAM...É UMA PROVA DO QUE DIZ A bIBLIA: "O MUNDO JAZ NO MALIGNO", É TABEM UMA LIÇÃO PARA OS CRENTES QUE TORCEM POR CLUBES DE FUTBOL E OS QUE ACHAM QUE DEVEM IR AO ESTADIO, ELES MESMO DIZEM AÍ, FUTBOL NÃO TEM NADA A VER COM RELIGIÃO...AS PEDRAS ESTÃO FALANDO AOS CRENTES FRACOS...

Anônimo disse...

freeacesstogod wrote (via Multiply) on Jul 2

onde formos haverá lutas, o evangelho deve ser proclamado por toda a terra.

essa é a ferramenta de trabalho deles. é o modo que eles tem de evangelizar, quem é hipócrita para dizer deles que estão errados, que diga a quantos ja teve um pingo de coragem para evangelizar, e se tiveram, em que condições de moral (pois muitos são podres, e tentam converter sem ser convertidos....) estavam para dizer que se convertessem à Cristo???

bom refletir...

ide e pregai o evangelho.

Anônimo disse...

wesleysnypes wrote (via Multiply) on Jul 2

Bem, eu concordo com o fato de atribuírem a Deus resultados de jogos pq Deus é que tem todas as coisas sob Seu controle e conhecimento, nós homens não. O que ocorre, ao meu ver, é apenas um agradecimento pela conquista. E se perdessem? Cabe também agradecer porque quem consede tudo ao homem é somente Deus. Senão seria ingratidão.

Com certeza ganha quem estiver melhor preparado física e táticamente e quem tiver habilidade para melhor aproveitar as oportunidades. Deus mesmo diz em Sua Palavra: (... faça sua parte que farei a minha...).

O Senhor não se sente honrado com uma multidão que literalmente idolatra homens mas nem todos que estão lá, estão exatamente idolatrando homens, no entanto, buscando se entreter, outros apenas no exercício de sua profissão. Com certeza têm aqueles que exageram e passam a prática realmente idólatra. Destes sim, Deus não se agrada.

Se alguns jogadores, ao levantarem as mãos aos céus e dizerem que crêem em Jesus, pode sim estarem contribuindo para a evangelização e conversão da sociedade. Acredito que fica a cargo do próprio jogador. Se ele está sendo verdadeiro naquele momento ou se é de fato uma evangelização, também é de responsabilidade do jogador.

Pode ser ou pode não ser uma evangelização. Pode ser apenas um agradecimento.

Com certeza "gospalização" não produz salvação, a salvação vem pelo ouvir, ouvir a Palavra de Deus e o pronto arrependimento de seus pecados.

Anônimo disse...

clickmusical wrote (via Multiply) on Jul 5

Achei constrangedor atribuir à Deus a vitória conquistada num jogo, como se Deus fosse um patrocinador, a gente tem que separar as coisas, tudo tem que ter uma lógica e eu encaro isso como uma afronta ou no mínimo uma falta de respeito. A FIFA está certa por um lado, mas embora esse gesto possa também conquistar o coração de alguns expectadores e até despertar o interesse pelo evangelho.

Anônimo disse...

marcosloku wrote (via Multiply) today at 11:13 AM

Acho que está certo, pois religião é uma coisa de fórum íntimo!
MArcos

Anônimo disse...

liberdadedeexpressao wrote (via Multiply) on Jul 9, edited on Jul 9

Lamentável palhaçada da Associação Dinamarquesa de Futebol e da FIFA, tachando uma simples manifestação religiosa como se fosse o mais terrível dos crimes.

É como você muito bem questionou: "Será que se um jogador estampasse em sua camisa um apelo a favor do homossexulismo ou da legalização da maconha, por exemplo, seria criticado ou seria apaludido?"

Liberdade de expressão, religião e comunicação, sempre.

http://liberdadedeexpressao.multiply.com

Anônimo disse...

ssimone (via Multiply) wrote on Jul 10
bem... acho que Deus não tem nada aver com COMPETIÇÃO mas acho louvável a atitude dos jogadores em mostrar religiosidade...esse de fato é um assunto plêmico!

Anônimo disse...

aefg wrote (via Multiply) on Jul 10

Um Cristão , que não está pecando - jogar futebol não é pecado, deve sim atribuir a Deus as suas conquistas , pois mesmo sendo mértito da tecnica e da força física, bem como do bom desempenho da equipe, Deus é quem lhe deu um corpo saudável, inteligência e energia para que ele possa trabalhar, se divertir em fim , possa praticar o esporte!

Related Posts with Thumbnails