segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

O Corista e seu status

Silvio Araujo

Um conjunto coral de igreja possui metas e objetivos como por exemplo, o louvor e a adoração à Senhor, a pregação da Palavra cantada e a propagação da arte e educação musical para maior glória de Deus. O que acontece com frequência, é que os coralistas se esquecem do maior objetivo do Coral na Igreja, que é o de ofertar à Deus e se apegam a pontos meramente materiais. O canto coral pode oferecer prazer e até status a quem o executa, mas é preciso equilíbrio e cuidado quanto à estes sentimentos, direcionando os mesmos à sua experiência de crescimento espiritual, emocional e intelectual.

Classificamos três níveis:

O STATUS SOCIAL: Fazer parte de um grupo que se apresenta bem e tem um lugar de destaque na Igreja é para muitos motivo de orgulho máximo. Sabem que têm um lugar reservado na melhor bancada da congregação, participação garantida em todas as viagens do coro e consideram-se “escolhidos” para cantar. Pessoas que só observam sua participação no coral por esse ângulo, para marcar presença, rever seu nicho social, falar com os amigos e simplesmente cantar, sem se preocupar com sua situação espiritual ou sua função no culto, demonstram ter em mente a Igreja como um clube e o coral apenas uma agremiação recreativa, cultural ou social.

O STATUS ARTÍSTICO: “Nosso coral só canta obras dos grandes mestres", "É o melhor coro que tem por aqui!"... Estas frases podem constar do vocabulário de algum corista menos humilde e revelam a preocupação apenas com o lado artístico do canto coral. Pessoas assim não deveriam cantar em coros de igrejas e sim em casas de espetáculos, onde seus dotes artísticos são revelados para o deleite de uma platéia seleta e onde os aplausos ajudam a fortalecer o ego. É certo que o lado artístico é muitíssimo importante, afinal, trabalhamos com música, mas não é o mais importante!

Por outro lado, desprezar as indicações artístico-musicais no coro é fazer esse trabalho para Deus da forma mais relaxada possível, sem a preocupação de apresentar o melhor para o Senhor. Coros que não dão a necessária atenção e valor ao bom cantar são expostos à crítica e nunca conseguem transmitir plenamente a mensagem de seus hinos, além do que, seus componentes não se sentem motivados ou alegres com seu próprio desempenho.

Talvez essa preocupação excessiva tenha levado alguns coralistas a se tornarem exclusivamente artistas na Casa de Deus. Nada mais que isto.

O STATUS DE ADORADOR: Reconhecer sua responsabilidade e posição de ‘separado para cantar’ e executar seu dom musical da melhor forma possível, dedicando e entregando todo o resultado a Deus, seja talvez a performance mais apresentável do corista adorador. Ele deve saber que é instrumento e portanto deve estar conservado e afinado, pronto para que Deus o utilize.

O corista adorador é humilde e obediente, fiel a Deus e à Igreja e trabalha com o sentimento de conjunto (Nós) e não é exclusivista (o "Eu”) E procura sempre o bem comum (Todos). Para este, o templo não é apenas um lugar de ajuntamento social e sim, um lugar de comunhão, de oferta viva, santa e agradável a Deus, e o estrado do coral no dias da apresentações não é apenas um palco, mas, o lugar que Deus tem lhe confiado para anunciar, exortar, consolar e adorar, pois a música que ele canta fala ao mundo, à Igreja e ao próprio Deus!

"Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem."
João 4.23

4 comentários:

Samuel Bastos Machado disse...

A Paz do Senhor irmão Silvio.

Estou feliz por encontrar pessoas que se importam com a verdadeira postura do músico na casa de Deus, em especial do coralista, conforme a sua postagem.

Meu nome é Samuel Bastos, sirvo a Deus como regente do Coral da Assembléia de Deus em Maringá no Paraná e sempre reforço aos nossos coralistas que o nosso foco não é se apresentar com a melhor técnica ou os melhores repertórios; isso não pode ser maior do que a nossa intenção de primeiramente adorar a Deus e entregar-lhe o louvor devido. A boa técnica e repertórios refinados e bem executados sempre serão benvindos desde que não seja a mola propulsora para o sucesso do coral. O sucesso ocorrerá quando o objetivo de adoração ao Senhor por cada componente do coral for exprimida do fundo do seu coração e desejar que a mensagem possa impactar as pessoas por intermédio da música cantada.

A música é um meio e não um fim.

Deus te abençoe meu querido e que abençõe também todos os músicos da Igreja Assembléia de Deus em Pernambuco.

Silvio Araujo disse...

Prezado Samuel
A paz do Senhor
É um grande prazer recebê-lo neste humilde espaço.
Seu comentário diz tudo e corrobora nosso pensamento. Deus o abençoe!
Como podemos conhecer mais do Coral da AD em Maringá? Sei que há um excelente trabalho musical nas igrejas do Paraná.
Que o Senhor continue abençoando sua vida e seu serviço na Obra!

malengue salvador disse...

Paz!

É muito prazer e abençoador tratar de um assunto como este. Caro irmão. Vejo Deus estar abençoando o querido em relação ao seu ministério. Que Deus te abençoe.

malengue salvador disse...

Paz!

É muito prazer e abençoador tratar de um assunto como este. Caro irmão. Vejo Deus estar abençoando o querido em relação ao seu ministério. Que Deus te abençoe.



Tomé Buco
País: Angola
Continente:Africano

Related Posts with Thumbnails