sexta-feira, 3 de abril de 2009

O relógio de Deus

(...) já se fazia escuro e Jesus ainda não viera ter com eles (...) por volta da quarta vigília da noite, veio ter com eles,andando por sobre o mar (...)”.
João, 6.17b e Marcos, 6.48

“Ainda” – com essa palavra, João parece denunciar o ambiente de inquietação que se instalava entre os discípulos no meio do mar. Por mais que eles relutassem em tecer tais conjecturas, as altas ondas, o rijo vento, o barco afundando, a hora avançada, as forças mitigadas, o negrume da noite, todas as coisas pareciam apontar para um “atraso” divino, uma dessincronia entre a ação de Deus e as necessidades humanas, uma distração de Deus em face ao desespero humano.

Diz o texto que, naquele momento de medo, pânico, perplexidade, e de total incapacidade de não atribuir a Deus a falibilidade humana, Jesus vem andando por sobre as águas e o Seu relógio marcava a quarta vigília da noite. Teria Deus perdido a hora? Dormido no ponto? Havia o relógio divino trabalhado descompensado com a hora do nosso sofrimento? Teria Ele abdicado do compromisso radical que tem com as nossas vidas?

Não! Diz o texto enfaticamente: Ele veio na quarta vigília da noite. Por que? Porque é na quarta vigília que a noite se faz mais escura, as ondas mais revoltas e os ventos mais rijos em razão da proximidade do nascer do sol (o texto atesta esse fenômeno quando diz que neste período eles remavam com dificuldade porque “o vento lhes era totalmente contrário”). Como sempre, o relógio de Jesus estava rigorosamente pontual. Veio quando a escuridão era mais densa, as ondas mais encapeladas e os ventos totalmente contrários.

O relógio de Jesus é assim: sincronizado com o nosso sofrimento e as nossas dores. Jamais chega atrasado em nossa vida para a manifestação de Sua graça e de Sua misericórdia. Jamais posterga o milagre esperado. Ele sempre aparece quando a noite se faz mais escura e os ventos são totalmente contrários.

Talvez, muitos de nós estejamos, hoje, vivendo essa “síndrome do ainda”. Uma terrível sensação de que Deus perdeu a hora, Deus perdeu o bonde da história de nossa vida; um Deus atrasado em cumprir as Suas promessas. Talvez, muitos de nós estejamos nutrindo em nossas vidas essa idéia de um Deus distraído e incapaz de manifestar a Sua graça no tempo certo de nossos sofrimentos.

Precisamos entender isto: o Relógio de Jesus nunca falha. Ele Sempre aparece. Quando as trevas forem mais densas, as ondas mais revoltas e se fizer a “quarta vigília da noite”, louvemos e cantemos ao Senhor. Porque está vindo ao nosso encontro.

Rev. José Kleber Fernandes Calixto
Igreja Presbiteriana de Coromandel - MG

3 comentários:

Juber Donizete Gonçalves disse...

Irmão Silvio,

Parabéns pela postagem sobre o assunto. Gosto da frase de que Deus nunca atrasa ou adianta, chega na hora. O que muita gente não entende é que esta hora é a "hora" dele. Ele sempre sabe o momento certo de intervir, quando tem que intervir.

Grande abraço.

Silvio Araujo disse...

Pr Juber
Agradeço sua visita e concodo plenamente com sua colocação.
Que eu possa aprender a cada dia a esperar e confiar pois na hora certa, Deus, que tem o controle de tudo, agirá!

Niese Tocafundo disse...

Oi ,navegando cheguei aki.Estou a procura dos testemunhos dos abençoados pelo Senhor Jesus! Vi que te ofereceram o selinho da campanha,por isso vim conferir.Não encontrei,que pena!Quando lancei esta campanha lá no manancial de amor,ela já estava no coração de Deus.Se desejar participar o convite está feito.Criei uma sala especial para todos os testemunhos que eu conseguir colher desta campanha.Participe.Tenha um lindo dia!Jesus te ama!bjns
http://mananacialdeamor.zip.net/

Related Posts with Thumbnails