terça-feira, 17 de agosto de 2010

Filhos de Coré - transformando o fracasso em vitória




Texto base: Nm 16.1-7, 31-35 e Nm 26.10,11

Transformando o fracasso em vitória

A rebelião de Corá é um dos episódios mais tristes da Bíblia. Exemplo de fracasso e derrota, porém, em meio a esta situação, Deus preserva os filhos de Coré, e os põe para louvar no Templo, como símbolo da misericórdia e amor de Deus.

1 – Uma triste rebelião. Nm 16.1,2


A – Perfil dos rebeldes. Nm 16.2:

- Príncipes da congregação
- respeitados nas solenidades
- homens de posição;
- Segundo Flávio Josefo, Coré e seus seguidores eram homens respeitados também pela grande riqueza que possuíam.

B - O mentor da rebelião: Coré ( ou Corá)

- Coré era filho de Jizar. Nm 16.1
- Jizar era filho de Coate. Êx 6.18: “E os filhos de Coate: Anrão, e Izar, e Hebrom, e Uziel...”
- Coate era um dos três filhos de Levi. Êx 6.16 : “E estes são os nomes dos filhos de Levi, segundo as suas gerações: Gérson, e Coate, e Merari...”
- Como levita, Coré já servia no tabernáculo. Nm 16.9,10.
- Coré e Moisés eram primos de 1º grau.
- Já Datã e Abirão eram da tribo de Rúben, e reinvidicavam o governo civil.

C - Motivos da rebelião.

- Inveja,
- Acusaram Moisés e Arão de se exaltarem diante do povo. Nm 16.3
- Acusaram Moisés de não levá-los a Terra Prometida, chamando o Egito de “terra que mana leite e mel”. Nm 16.13,14. O coração de Coré ainda estava no Egito!
- Queriam o governo civil de Moisés e religioso de Arão, dizendo que todo Israel era santo e capaz de exercer tais atividades. O fato de serem santos, não quer dizer que sejam escolhidos para o ministério. Não está acontecendo isto também em nossas igrejas? Nm 16.3
- O maior motivo, excluindo todos os pretextos, era a busca por poder e exibicionismo!

2 – Os resultados da rebelião. Nm 16.5-7

- Apresentaram-se perante o Senhor com incensários e incensos acesos,
- O desafio de Moisés: como prova de que Deus estava com ele, Coré não morreria de uma morte comum. Nm 16.29-30,
- Desceram vivos ao sepulcro (Sheol), com todos os seus bens. Nm 16.31-32. “Foram sepultados vivos!”
- Os outros 250 homens foram consumidos pelo fogo do Senhor. Nm 16.3. Josefo escreve que nunca se tinha visto fogo tão ardente, e que tais homens foram consumidos até não restar nada de seus corpos.
- Com os incensários foram feitas lâminas para recobrir a arca, como sinal a Israel. Nm 16.38.

3 – Em meio a este fracasso, surge uma prova do amor de Deus. Nm 26.10,11.

Ao fazer o censo do povo para guerra, chega-se a tribo de Rúben e lembra-se do incidente de Datã e Abirão, citando os filhos de Coré.

“MAS OS FILHOS DE CORÉ NÃO MORRERAM” Nm 26.11

- Quem eram os filhos de Coré? Êx 6.24: “E os filhos de Coré: Assir, e Elcana, e Abiasafe...”
- 1 Cr 6.31-32: “Estes são, pois, os que Davi constituiu para o ofício do canto na Casa do Senhor, depois que a arca teve repouso. E ministravam diante do tabernáculo da tenda da congregação com cantares, até que Salomão edificou a Casa do Senhor em Jerusalém; e estiveram, segundo o seu costume, no seu ministério.”
-Elcana, um dos filhos de Coré, foi antepassado de Samuel, não seu pai, de onde surgiu os músicos que serviam na Casa do Senhor. 1 Cr 6. 36-37 : havia um cantor de nome Hemã ...“...filho de Elcana, filho de Joel, filho de Azarias, filho de Sofonias, filho de Taate, filho de Assir, filho de Ebiasafe, filho de Coré.”

4 – Como ficaram esses sobreviventes?

- Ficaram sem parentesco. Nm 16.32. Sem. Para os judeus, a genealogia é de grande valor; prezam pelas origens.
-Ficaram sem sua herança, seus bens materiais. Nm 16.32-33,
- Sua família era lembrada como um mau exemplo, até mesmo depois de muito tempo! Jd 11: “Ai deles! Porque entraram pelo caminho de Caim, e foram levados pelo engano do prêmio de Balaão, e pereceram na contradição de Corá.”
- Humanamente falando, era motivo de vergonha e fracasso! Se fôssemos alguns de nós, prefeririam ter morrido também, mas eles estavam no templo, louvando ao Senhor!

5 – Os filhos de Corá escreveram uma nova história em sua existência! Não se prenderam ao passado!

A – Serviram no templo. 1 Cr 6.31-37
B- Escreveram pelo menos 12 dos 150 Salmos, entre eles:
- Salmo 42.1,2: “Como o cervo anseia pelas correntes da águas, assim suspira a minha alma por Ti ó Deus. A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo. Quando entrarei e me apresentarei ante a face do Senhor?”
- Salmos 44.23: “Desperta, ó Senhor! Por que dormes? Acorda! Não nos rejeites para sempre.”
Salmos 45: Salmo messiânico que retrata o casamento de Cristo com sua igreja.
-Salmos 46.1 : “ Deus é nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia.”
- Salmos 48.1: “Grande é o Senhor e mui digno de louvor, na cidade do nosso Deus, no seu monte santo.”
- Salmos 48.9: “Lembramo-nos, ó Deus, do teu constante amor no meio do teu templo.”
- Salmos 48.14: “Pois este Deus é o nosso Deus para todo o sempre; Ele será nosso guia até a morte.”
- Salmos 49: Expressa o grande valor de uma alma. Nem mesmo o dinheiro de fazendas poderia comprá-la.

CONCLUSÃO
: Isaías 42.3: “A cana ferida não quebrará, e não apagará o pavio que fumega.”

2 comentários:

kleyber disse...

Maravilha de Estudo, aprendir muito uma benção.

Kleyber Santiago

Palavra de Cristo para as nações disse...

Paz seja contigo nobre irmão. Muito preciso esse estudo. Parabéns. Deus lhe capacite a cada dia.
Pr. Marcos Rovina marcos.rovina@hotmail.com
Sumaré-SP

Related Posts with Thumbnails